Retorno dos Cruzeiros: quando as armadoras voltarão a navegar?

Armadoras apontam para possíveis retornos ainda este ano

Uma das indústrias do Turismo mais afetadas pela crise causada pelo novo Coronavírus com certeza foi o segmento de Cruzeiros. As restrições de viagens adotadas por diversos países, seguindo as recomendações da OMS, resultaram no fechamento de diversos portos, impossibilitando a operação de cruzeiros ao redor do mundo.

Além disso, o grande número de casos de navios que permaneceram navegando sem ter onde aportar, com passageiros que testaram positivo para o Covid-19, causou extremos problemas na imagem das armadoras.

É fato que o retorno deste tipo de viagem será acompanhado de profundas mudanças e o segmento deve ser o último a se recuperar. No entanto, algumas armadoras já sinalizam planos de retomada das operações e até mesmo possíveis datas de retorno.

A Clia anunciou que as companhias associadas voluntariamente estenderam o retorno das operações de cruzeiros nos EUA até o dia 15 de setembro deste ano, por conta da situação do Coronavírus no país. Neste caso, a Royal Caribbean e a Celebrity Cruises decidiram cancelar todas as suas saídas no país até o dia 15 de setembro. No entanto, é possível que as operações da Royal Caribbean na China sejam retomadas já no fim do próximo mês de julho. Já a Carnival foi ainda mais longe, cancelando viagens na América do Norte até pelo menos o dia 30 de setembro.

A Norwegian Cruise Line Holdings (Norwegian, Regent Seven Seas e Oceania Cruises) optou por suspender suas operações globais até pelo menos outubro, bem como a Holland American, que também cancelou os cruzeiros de setembro e outubro. No início do mês de junho, a Pullmantur também comunicou a decisão de suspender suas operações até pelo menos o dia 15 de novembro, por conta das incertezas em relação a pandemia.

A MSC também estendeu a paralisação, porém somente até o dia 10 de julho. A armadora também apresentou as mudanças nas suas operações globais para a temporada 2020/2021. A concorrente, Costa Cruzeiros também estendeu o prazo de suspensão para o mês de julho, até o dia 31 de julho.

A Disney Cruise Line foi mais radical em suas decisões e cancelou todas as suas saídas que estavam previstas para 2020, tanto na Europa quanto no Alasca.

Por enquanto não dá para prever quando as viagens de navio retornarão, ou como exatamente elas serão realizadas, mas é nítido que as armadoras continuam esperançosas por um retorno breve, ainda neste ano.