Orlando por R$999? Saiba tudo sobre os pacotes promocionais da Hurb

Será que os preços baixos valem o risco? (Foto: Rafaela Martins)

Em um cenário completamente inusitado, onde viagens estão suspensas por tempo indeterminado devido a pandemia do Covid-19, muito se fala sobre o futuro incerto da indústria do Turismo. Quando voltaremos a viajar? Será que as agencias e operadoras vão sobreviver à crise? O que acontece com os cruzeiros agora? As aéreas vão falir? São inúmeras as dúvidas que acercam o setor.

Enquanto algumas empresas do Turismo buscam soluções para continuarem existindo, outras vão na contra mão procurando não apenas a sobrevivência, mas um possível crescimento. Nas últimas semanas, um dos assuntos que mais tem chamado atenção dos viajantes e do trade são as promoções do Hurb (Hotel Urbano), agência online de viagens. A agência sempre foi conhecida por suas promoções e preços convidativos, mas os últimos pacotes anunciados têm gerado uma certa desconfiança por conta dos preços ainda mais baixos que o normal para destinos super disputados.

Comentários sobre as promoções no grupo Mochileiros (Imagem: Reprodução/Facebook)

Entre as ofertas, está o pacote para Orlando em 2021, com hospedagem e aéreo a partir de R$999, incluso uma bagagem de mão de 10kg e café da manhã. No dia 1 de abril, o Hurb lançou um pacote promocional para Bangkok e Phuket (Tailândia) por R$1999. A oferta incluía a passagem aérea e hospedagem de 8 diárias com café da manhã para uma pessoa. Além disso, também foram disponibilizadas opções para o Nordeste e Sul do Brasil por menos de R$500, todos com embarque em 2021. Além destes destinos, as promoções incluem Grecia, Israel, Praga, Berlim e Londres.

Os pacotes promocionais do Hurb dividiram opiniões na internet sobre a veracidade e segurança da aquisição. Uma das principais teorias levantada para justificar os preços reduzidos era de que a empresa estaria falindo. Não seria a primeira vez que uma empresa do Turismo estaria vendendo pacotes a preços de banana antes de anunciar falência. Em fevereiro desse ano, uma agência de intercâmbio paulista com filial em Belo Horizonte, Fortaleza, Rio de Janeiro e Vitória, deixou dezenas de clientes e funcionários na mão após dar um golpe no valor de R$1 milhão, segundo o Procon.

O buzz gerado em cima das promoções é tão grande que a própria Hurb decidiu realizar uma live no Youtube para tirar as principais dúvidas dos internautas e assegurar de que os pacotes são reais e que seus clientes que já adquiriram o pacote podem ficar tranquilos. Em sua live, a empresa desmentiu o boato e afirmou que possuí caixa até pelo menos 2022 “se fizerem muita besteira” e que a empresa está em sua melhor fase financeira. “Não vamos falir, estamos em uma situação excelente de caixa e isso (venda dos pacotes promocionais) não foi uma estratégia visando gerar caixa. Não é por isso que estamos fazendo esses pacotes. Sempre tivemos estratégias desse tipo, não é a primeira vez que lançamos pacotes a esse preço”, afirmou Karyna Accioly, um das diretoras do HU.

Nas mais de 2 horas de live, a empresa explicou o porque dos preços serem tão baixos, desmentiu o boato de pedido de recuperação judicial e abordou diversas questões sobre os pacotes, mostrando como funcionariam as políticas e condições de cancelamentos se a pandemia se prolongar para 2021.
“Estamos otimistas que a situação não estará perdurando até 2021 mas vamos oferecer condições especiais para remarcação e para cancelamento tanto em crédito quanto estorno para todo mundo que comprou”, completou Karyna.

INVESTIMENTO ARRISCADO

Apesar de tudo isso, algumas pessoas decidiram investir no pacote, como é o caso de Vinicius Alves (26), Publicitário da cidade de São Paulo e Bruno Melo (28), empreendedor e digital influencer de Santo André-SP. Ambos adquiriram o pacote de oito dias em Orlando entre março e novembro de 2021.

De acordo com Vinicius Alves, a escolha de comprar o pacote foi motivada pelo preço bastante atrativo. “Escolhi pelo preço e por conhecer pessoas que ao viajar com eles tiveram uma boa experiência. Eu nem pesquisei em outros sites, fui motivado pelo preço muito a baixo do habitual”, afirmou o publicitário, que é cliente de primeira viagem do Hurb.

No entanto, a escolha não foi feita de forma impulsiva e descuidada. Vinicius afirma ter lido as condições gerais e regras sobre cancelamentos e remarcações. Confiante, o jovem paulista também acredita que a viagem será realizada e que a pandemia do Coronavírus não irá se estender ao ponto de sua viagem precisar ser remarcada. “Acredito que já terá passado. Espero, genuinamente, que essa pandemia seja superada em breve”, completou.

Foto: Reprodução/Hurb

Já o influencer Bruno Melo também acredita na veracidade e segurança dos pacotes por já ter comprado outros produtos da empresa. “Eu vi a propaganda no Instagram e achei o valor super barato. Dei uma lida em todo o regulamento pra entender como funcionava, questão de datas, quantidade de pacotes que eu teria que comprar pra validar e ai fiz a compra. Eu confio no pacote e na solidez do Hotel Urbano porque eu já utilizei o serviço deles em outras ocasiões. Com relação ao Coronavírus, comprei por ser uma viagem a longo prazo, tenho até novembro de 2021 pra ir viajar e acredito sim que até ano que vem as coisas estarão normalizadas. O que me preocupa um pouco é a questão do dólar”, explicou Bruno.

O QUE OS ESPECIALISTAS ACHAM?

Mas, afinal, o que os especialistas recomendam?

Para o advogado e professor Antônio Gama, especialista em Direito do Consumidor, as promoções ofertadas pela agência são uma maneira de atrair o interesse de um público que se encontra preocupado com o futuro do turismo e que precisa de uma motivação para adquirir uma viagem. “As agências de viagem não podem parar de projetar suas atividades empresariais, então nada impede que elas façam promoções para atrair os clientes que, por causa da pandemia, estejam inseguros para viajar. A promoção é uma forma de estimular esse público a realizar a compra de uma viagem”, afirmou o advogado.

O especialista afirma ainda que não há como prever o cenário que enfrentaremos nos próximos meses ou até mesmo no próximo ano, mas que as expectativas são de que até o final do segundo semestre as coisas estejam mais estáveis. No entanto, no caso de um cenário negativo para a saúde financeira da agência de viagens, será necessário estabelecer acordos de boa-fé ou até mesmo alguma jurisprudência que possa estar firmada até lá. Até o momento, a MP 948 estabelece que as empresas de serviços relacionados ao setor de turismo tem até 12 meses para o reembolso dos serviços pagos, com direito a correção monetária.

Para realizar uma compra segura, Antônio Gama afirma que o consumidor deve ‘desconfiar sempre’. “Quando uma pessoa desconfia, ela fica mais atenta e busca por uma certificação. Então quem for comprar, precisa primeiro procurar precedentes da empresa, entender se ela é estável no mercado e se tem conhecimento nos serviços oferecidos. É sempre válido procurar pelo nome da empresa nas redes sociais e no Reclame Aqui, pra ver se já existe alguma reclamação similar em andamento. O consumidor deve investigar a situação e lembrar de ler todas os termos e propostas realizados pela empresa”, finalizou.

O Hurb mostra como pode ser realizado o cancelamento dos pacotes sem custos adicionais

PRECEDENTES DO HURB

Inaugurado em 2011, o antigo Hotel Urbano se tornou um dos maiores negócios online do Brasil. Em julho de 2015, o Hurb vendeu uma fatia de suas ações e recebeu um investimento significativo da Priceline, dona da maior empresa de turismo online do mundo, o Booking.com. Isso fez com que a agencia brasileira chegasse ao valor de R$2 Bi em menos de cinco anos de existência, ultrapassando até mesmo a CVC.

Mas, se a empresa está em uma situação tão positiva, porque os preços dos pacotes estão tão baixos? Bom, em resumo, esse é o modelo de negócio de uma OTA.

O modelo de vendas da OTA é bem simples: pacotes baratos que oferecem voos em econômica e hotéis três estrelas sem data previamente marcada. Eles estipulam um prazo e oferecem aos clientes algumas opções de datas para a realização da viagem dentro do período. No cenário atual, a situação é favorável para a empresa.

De acordo com o head global de finanças de um dos unicórnios brasileiros de 2019 – que preferiu não se identificar – o cenário mais saudável para uma empresa em meio à pandemia é ficar o maior tempo possível com free cash flow, ou seja, fluxo de caixa livre. “A estratégia da Hurb é vender agora e ter dinheiro em caixa em um produto que só será entregue a partir dos próximos 12 meses”, afirmou o head global.

Em meio a tantas informações, entendemos que: as companhias aéreas e empreendimentos hoteleiros estão com o caixa parado neste momento por conta da pandemia. O Hurb oferece para esses fornecedores a chance de receberem agora por algo que só vai ser utilizado lá na frente. Isso faz com que o poder de negociação da OTA seja extremamente relevante. Os acordos feitos entre as partes permite que a agência online venda os produtos por preços convidativos, fazendo com que as três pontas se beneficiem neste negócio – o Hurb, os fornecedores e o consumidor saem ganhando.

Consumidores tem apostado cada vez mais na compra de pacotes online

Em linhas gerais, o risco existe mas porque ele esta iminente a nossa existência. Mas, e você, compraria algum dos pacotes promocionais?

*Esse texto não tem a intenção de incentivar ou desmotivar ninguém na compra dos produtos do Hurb. O texto é meramente informativo baseado em fatos e opiniões de especialistas de diferentes áreas e clientes da plataforma. A redação do Turislab não se responsabiliza por nenhum pacote adquirido por meio dessa ou de qualquer outra OTA*

2 Comments on “Orlando por R$999? Saiba tudo sobre os pacotes promocionais da Hurb”

Comments are closed.