Intercâmbio na Irlanda: confira 4 opções que vão além de Dublin

A Irlanda é um destino muito procurado pelos brasileiros quando o assunto é intercâmbio. Quem escolhe um programa de longa duração — com 25 semanas no mínimo — tem direito ao visto que permite trabalhar no país. Cursos de inglês, graduações e mestrados entram nessa categoria.

Escolher a Ilha Esmeralda é ter uma experiência na Europa com bom custo-benefício. O país é conhecido por ser bem receptivo com os turistas e não poderia ser diferente — o número de visitantes supera o da própria população. Atualmente, vivem 4.9 milhões de pessoas na Irlanda, enquanto os turistas ultrapassam a casa dos 6 milhões.

Dublin, a capital do país, é a cidade mais procurada para um programa de intercâmbio. Entretanto, existem outras opções com boas escolas e que podem ser o destino ideal para quem quer fugir das grandes cidades e busca uma imersão na cultura local. Conheça cinco cidades para fazer intercâmbio na Irlanda.

1. Dublin

Começando pela capital, Dublin tem uma população de 1.3 milhões de pessoas. A cidade tem uma vida noturna agitada, além da boa estrutura para receber os turistas. O transporte público é de qualidade, mas muitas pessoas optam por utilizar a bicicleta para se locomover.

A renomada Trinity College fica na capital e é uma boa opção para quem pretende fazer uma graduação ou mestrado. Independentemente de estudar ou não na instituição, vale conhecer a sua famosa biblioteca. 

Apesar de oferecer uma boa qualidade de vida, Dublin passa por uma crise imobiliária. Isso acontece pelo alto fluxo de pessoas: existem muitos estudantes, tanto do ensino superior quanto aqueles que vão para estudar inglês. Além disso, grandes empresas marcam presença na cidade. O resultado: aluguéis caros e ampla competitividade pelas vagas. 

Opinião da intercambista: “A mobilidade de lá é boa, eu fazia tudo de trem ou de luas. Para quem é estudante, é o paraíso: tem muita festa na cidade, tanto opções irlandesas como as festas de estudantes estrangeiros”, conta Mariane Martins. Para ela, Dublin tem boa qualidade de vida sem perder as características de cidade grande.

2. Cork

Para quem quer fugir do ritmo acelerado da capital sem perder opções de lazer e cultura, Cork é uma boa escolha. A cidade tem 190 mil habitantes e está a três horas de Dublin. Localizada na costa sudoeste da Ilha Esmeralda, a cidade universitária oferece boas opções de escola de inglês e também há a possibilidade de estudar na University College Cork.

Apesar de ser menor, o mercado de trabalho está recheado de opções. Empresas multinacionais, como Apple, Facebook e Motorola, marcam presença na cidade, sendo uma boa opção para profissionais da área de TI. Além disso, Cork tem seu próprio aeroporto.

Por ser uma cidade menor, é possível ir aos lugares a pé, e os aluguéis tem um preço menor que os de Dublin. Vale ressaltar que os moradores de Cork são conhecidos por sua hospitalidade. A vida noturna também é agitada e conta com diversas opções de pubs.

Opinião da intercambista: Depois de dois meses em Dublin, a intercambista Nathalia Torquato mudou para Cork por causa do custo de vida. Ela ressalta que a cidade é menor que a capital, então quem gosta de agitação acaba encontrando menos opções de lazer.

3. Limerick

Limerick é uma cidade com muitos jovens e a sua população é de 94 mil habitantes. A duas horas de Dublin, ela conta com uma posição privilegiada na ilha e é fácil viajar para a maior parte dos pontos turísticos. O custo de vida é menor quando comparado com a capital e com Cork, um atrativo a ser considerado.

Além disso, a cidade é mais uma opção para quem busca maior contato com os locais e quer fugir um pouco dos brasileiros. Existem boas escolas e, mesmo sendo menor, há opções de emprego. Assim como Cork, é possível fazer a maior parte das atividades a pé, sem necessidade de transporte público.

Limerick é detentora do título de cidade mais cinzenta da Irlanda. Então, apesar do clima mais gelado e com chuvas frequentes em todo o país, nessa cidade o sol aparece menos. 

Opinião da intercambista: “É uma cidade estudantil, eu queria essa vibe menos metrópole e com um ar mais despojado e boêmio. Aqui é assim.”, explica Dávilla Hanrahan, que diz não gostar muito de cidades grandes. Ela alerta: pessoas que valorizam muitas opções de lazer podem se cansar da cidade, porque as possibilidades se resumem aos pubs e o shopping.

4. Galway

Foto: Mariane Martins

A charmosa Galway está a 300 quilômetros de Dublin e tem um clima de cidade do interior. A população de 80 mil pessoas usufrui de um alto nível de qualidade de vida e no quesito segurança a cidade está à frente da capital.

São poucos carros na rua e é possível se locomover a pé. Outro ponto positivo é que, por ser menor e ter um clima interiorano, a quantidade de brasileiros também diminui e o contato com os locais acaba sendo maior. Além disso, as paisagens são deslumbrantes.

As opções de escola são reduzidas, mas as turmas também são menores e com um bom mix de nacionalidades. O custo de vida é menor se comparado com as outras cidades, principalmente Dublin e Cork. Apesar de muitas pessoas defenderem que as cidades grandes possuem mais vagas de emprego, em geral isso é proporcional e em Galway as opções são boas também.

Opinião de intercambista: “Cidade grande não me fez tanta falta não”, revelou Danielle Souza, que morava em São Paulo. “Galway é extremamente linda e ter a praia pra tomar sol nos dias em que ele aparece é muito gostoso”, conta a estudante. Por ser menor, a cidade conta com menos opções culturais de lazer, como shows. Além disso, é necessário ir até Dublin para viajar de avião.

5. Bray

Foto: Mariane Martins

Bray é uma cidade costeira, com uma população de 30 mil pessoas e fica a 40 minutos de Dublin. Portanto, existem diversas pessoas que moram em Bray e trabalham na capital. O custo de vida também é mais em conta.

A cidade é praiana, o que pode ser um ponto positivo para quem gosta de mar — apesar do clima gelado da Ilha Esmeralda. O verão é bem agitado, um parque de diversões é montado na praia e acontecem diversos festivais como o Bray Summerfest. 

Existem três escolas de inglês, então não é necessário estudar em Dublin. Além disso, as turmas possuem menos brasileiros e a imersão na língua é maior. Por estar perto da capital, é possível viver em uma cidade mais tranquila e mesmo assim aproveitar a vida noturna e a agitação de Dublin aos finais de semana.

Opinião da intercambista: “Todos se conhecem, praticamente. Aluguel é barato, embora tenha aumentado de uns anos pra cá, mesmo assim compensa e é menor que Dublin”, disse Ana Flávia Medeiros. Ela mora em Bray há seis anos e seu objetivo era ficar em uma cidade com estilo interiorano. Ana Flávia explica que as pessoas que não gostam de um ambiente mais calmo e frequentam muitas festas podem acabar não gostando da cidade.